- Convênios  
  - Marque Consulta  
  - Exames  
  - Trabalhe Conosco  
  - Imprensa  
  - Humanização  
  - Ajude o IBCC  
  - Informativos  
  - Transplantes  
 
     
  NOTÍCIAS  
 
 
 
06.03.2018 - Pacientes com doença renal aumentam em até 20% chance de câncer
 
Sociedade Brasileira de Nefrologia destaca campanha sobre saúde da mulher; Médico do IBCC aponta cuidados que população deve ter com o rim

Nesta quinta-feira (8 de março), comemora-se o Dia Mundial do Rim, que este ano em virtude do Dia Internacional da Mulher, terá como tema “Saúde da Mulher – Cuide de seus rins”. A Sociedade Brasileira de Nefrologia vai trabalhar o tema em cima de aspectos relacionados à saúde da mulher e as doenças renais como um todo.

Pensando no tema e na relação que existe entre doenças ligadas ao rim e câncer, o médico nefrologista do IBCC, Dr. Roberto Galvão, relata os cuidados que pacientes renais devem ter a fim de se evitar que problemas no rim se espalhem por outras regiões do corpo. Segundo o médico, o acúmulo das toxinas urêmicas aumenta o risco de neoplasias, o que leva cerca de 5% dos pacientes dialíticos a apresentarem algum tipo de câncer. “Nesses pacientes o risco de câncer aumenta de 10 a 20% em relação a pessoas que não tem nenhum problema renal, como por exemplo câncer do trato urinário, digestivo e tireoide”, explica. Ele acrescenta ainda que o risco de câncer chega a dobrar após o transplante renal, devido à imunossupressão.

Já em relação a pacientes oncológicos, cerca de 15 a 20% têm algum tipo de acometimento renal e, dos pacientes críticos que iniciam diálise na UTI e sobrevivem, cerca de um em cada quatro continuarão necessitando de diálise ao longo da vida.

Cuide da sua saúde


Segundo Dr. Roberto Galvão é fundamental se consultar anualmente com um médico nefrologista a partir dos 40 anos, válido tanto para homens quanto para mulheres. Não se deve fazer a automedicação, realizar aferimento de pressão como rotina e realizar exames de urina e creatinina. Para os pacientes oncológicos, o médico afirma que todos devem observar o hábito urinário, volume, coloração, presença de sangue (especialmente em pacientes com câncer de colo uterino e trato urinário). “Anemia profunda, falta de ar, fadiga intensa, entre algumas outras situações, devem sem comunicadas ao médico imediatamente”, sintetiza o especialista.

O médico destaca a importância em se hidratar bem e sempre, mas sem exageros. Pacientes com volume urinário normal com tendência de formar cálculos e infecções na urina, devem sim tomar bastante água. Já pacientes que já apresentam disfunção renal devem tomar cuidado, pois o excesso de água acumulada irá causar inchaço e até mesmo edema pulmonar (água no pulmão). O rim tem três funções principais: eliminar as toxinas ou dejetos resultantes do metabolismo corporal, como ureia, creatinina, etc; manter um constante equilíbrio hídrico do organismo, eliminando o excesso de água, sais e eletrólitos, evitando, assim, o aparecimento de edemas (inchaços) e aumento da pressão arterial; e atuar como órgãos produtores de hormônios, como a eritropoietina, hormônio responsável por estimular a produção de glóbulos vermelhos na medula óssea, a vitamina D, e a renina, que intervém na regulação de pressão arterial.