- Convênios  
  - Marque Consulta  
  - Exames  
  - Trabalhe Conosco  
  - Imprensa  
  - Humanização  
  - Ajude o IBCC  
  - Informativos  
  - Transplantes  
 
     
  NOTÍCIAS  
 
 
 
16.03.2018 - Palestra no IBCC mostra importância do cuidado com o rim
 
Na palestra “Saúde da Mulher – cuide de seu rim”, realizada na última quinta-feira (15), no anfiteatro do IBCC, o médico nefrologista Dr. Roberto Galvão, destacou a importância da realização de avaliação médica anual, especialmente após os 40 anos, para verificar a saúde dos rins. Esses órgãos desempenham um papel fundamental na saúde ao serem responsáveis por filtrar toxinas e produzir urina para desintoxicar o organismo de substâncias desnecessárias. A palestra fez parte de uma série de ações organizadas no IBCC neste mês da mulher.

Na oportunidade, o médico destacou diversos problemas que os rins podem causar em outras partes do corpo humano. “Dores de cabeça ou fraqueza, prostração, podem ser relacionados a algum tipo de intoxicação renal. Problemas de pressão arterial também tem relação com problemas nos rins”, explica.

Prevenção

Dr. Roberto Galvão explicou como que se deve cuidar dos rins. O melhor caminho é a ingestão de água. “Mantendo seu corpo hidratado temos menos chances de contrair infecção nos rins”, alerta. Em contrapartida, é fundamental diminuir a ingestão de sal, substância que é a causa principal de retenção de líquidos. Estudos mostram que os rins são capazes de eliminar até 5 gramas de sal por dia. Quando se ingere mais, o rim acaba por armazená-lo, o que o prejudica. Sobre a alimentação, o ideal é manter uma dieta saudável, com legumes, frutas e verduras frescas, praticar atividade física regularmente, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e não fumar.

Evitar a automedicação

O médico apresentou três estudos de caso em que a automedicação de pacientes quase contribuiu para uma falência renal e demais problemas. Segundo ele, o uso exagerado de alguns medicamentos contribui para uma sobrecarga renal, complicando o trabalho natural dos rins e ocasionando uma série de sintomas, como diminuição da produção de urina, retenção de líquido, inchaço nos membros inferiores, fadiga, confusão mental, náusea e vômitos. “Temos que criar o hábito de ir ao nefrologista e acompanhar o funcionamento dos rins. Realizar exames de sangue, urina e pressão arterial regularmente ajuda a detectar, de forma precoce, alguns problemas. Importante é nos cuidarmos”, salienta o especialista.