- Convênios  
  - Marque Consulta  
  - Exames  
  - Trabalhe Conosco  
  - Imprensa  
  - Humanização  
  - Ajude o IBCC  
  - Informativos  
  - Transplantes  
 
     
  MITOS E VERDADES SOBRE O CÂNCER  
 
 
     
 

Desodorante x câncer de mama

O tecido cutâneo (pele) é capaz de absorver substâncias que cairão na corrente sangüínea e causarão efeito no organismo, ou seja, qualquer substância em contato com a pele poderá ser absorvida e agir no organismo. Por isso existem várias medicações que são prescritas por esta via, que é uma alternativa às vias oral, retal e nasal, dentre outras.

Os desodorantes e antitranspirantes, especificamente, têm ação local na superfície da pele e atingem as glândulas sudoríparas e não os tecidos mamários.

Por outro lado, é fato que o quadrante superoexterno da mama registra a maior incidência de câncer de mama; porém, é o que possui a maior quantidade de tecido mamário, o que justifica a maior incidência de câncer de mama no local.

Além disso, devemos salientar que o câncer de mama é originário do tecido mamário e não da pele, o que não permite relacionar cientificamente o uso de desodorantes e/ou antitranspirantes ao surgimento da doença.


Garrafas plásticas e câncer de mama: sem comprovação científica

Mais uma vez circula na internet notícia que envolve a relação do uso e/ou ingestão de algum tipo de produto e sua relação com o desenvolvimento do câncer de mama. Já foi assim com o sutiã e, agora, a tentativa de alerta, especificamente, é sobre as garrafas plásticas de água deixadas no carro, que "são extremamente perigosas", e que teriam sido responsáveis, segundo o que circula na WEB, pelo câncer de mama da cantora norte-americana Sheryl Crow.

Há que se ter muita precaução para assimiliar e passar esta informação, possívelmente equivocada, adiante. E vários são os motivos:

- a questão central não é a garrafa de água deixada no carro. O fato de ela estar ou não no automóvel não faz a menor diferença como causa do câncer de mama;

- desde a década passada existem estudos demonstrando que plásticos utilizados para acondicionar alimentos contêm substâncias que atuam como hormônios femininos (estrogênios), o Bisfenol-A, que pode passar para os alimentos e o meio ambiente;

- o alto consumo de produtos comercializados em garrafas plásticas torna difícil eliminar a ingestão do Bisfenol-A em nosso dia-a-dia;

- não há nenhuma comprovação científica sobre a relação do estrógeno presente nas garrafas plásticas e o desenvolvimento do câncer de mama, apesar das pesquisas que vêm sendo realizadas há quase 10 anos.

Para tentar evitar o surgimento não apenas do câncer de mama, mas de outros tipos de câncer, as mulheres e homens devem estar atentos aos cinco As, que representam a prevenção primária do câncer e outras doenças:

1. Alimentação saudável (rica em fibras e pobre em gordura animal, evitando a ingestão de hormônios naturais e sintéticos);

2. Atividades física e de lazer;

3. Atenção ao corpo, por meio do auto-exame (mama, boca, pele, testículos e tireóide);

4. Abandono de vícios como fumo, álcool e drogas em geral.

5. Acompanhamento médico anual, com realização de exames de imagem (se necessário).

Agentes Cancerígenos
Nesta seção do site, cada equipe médica do IBCC listou as principais dúvidas que os pacientes e acompanhantes costumam ter sobre alguns agentes que podem contribuir para o desenvolvimento do câncer. As perguntas e respostas estão separadas por assunto e contemplam informações gerais úteis para todos. No entanto, as respostas contidas nesta seção não devem ser usadas para substituir a consulta médica.

- Agentes químicos

- Alcoolismo

- Raio X

- Sol

- Tabagismo

- Terapia de Reposição Hormonal