- Convênios  
  - Marque Consulta  
  - Exames  
  - Trabalhe Conosco  
  - Imprensa  
  - Humanização  
  - Ajude o IBCC  
  - Informativos  
  - Transplantes  
 
     
  ESPECIALIDADES MÉDICAS  
 
 
     
 

Ginecologia
Saiba mais sobre Ginecologia

O que é Ginecologia?
Ginecologia é a área da Medicina que estuda o aparelho genital feminino (ovários, trompas, útero, vagina e vulva).

Quais são os cânceres ginecológicos mais frequentes?
Por ordem, os cânceres mais frequentes são colo do útero, corpo do útero (endométrio) e ovários.

Os cânceres ginecológicos podem ser hereditários?
Sim. As mulheres com casos de câncer de ovário e endométrio na família (mãe, tia, avó, irmãs e filhas) devem estar atentas e procurar orientação médica.

Quando as mulheres devem iniciar as visitas ao ginecologista?
A partir dos 18 anos ou quando iniciar a vida sexual.

Câncer do colo do útero

O que é colo do útero?
O colo do útero é a porção inferior e estreita do útero, quando ele se une à vagina.

O que é câncer do colo do útero?
É uma doença que faz as células do colo do útero sofrerem alterações e começarem a se multiplicar sem controle. O câncer do colo uterino é o segundo tumor mais frequente na população feminina, atrás apenas do câncer de mama, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Diagnóstico / Prevenção

O que causa o câncer do colo do útero?

O Papilomavírus Humano (HPV) é um dos principais fatores para o desenvolvimento do câncer do colo do útero. O vírus está presente em mais de 90% dos casos. Além disso, o início precoce da atividade sexual, múltiplos parceiros, tabagismo e uso de pílulas anticoncepcionais podem estar relacionados ao aumento de risco para a doença genital.

O que é HPV?
HPV é a sigla em inglês para Papilomavírus Humano. É um vírus que afeta a região íntima da mulher. A infecção genital pelo HPV é a doença sexualmente transmissível mais frequente na população feminina sexualmente ativa.

Há como prevenir o câncer do colo do útero?
Estima-se que 99% dos casos de câncer do colo do útero sejam causados pelo HPV, transmitido nas relações sexuais. Assim, as principais medidas preventivas são o uso de preservativos nas relações sexuais, a visita regular ao ginecologista para a realização do exame de Papanicolaou, educação e orientação sexual. Atualmente, existem duas vacinas disponíveis no mercado e registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para prevenir o câncer do colo do útero por HPV.

Quais os sintomas do câncer do colo uterino?
Os sintomas são tardios e os mais frequentes são sangramento vaginal imediatamente após a relação sexual ou um corrimento avermelhado e/ou malcheiroso. Porém, na fase inicial não costuma haver sinais ou sintomas.

Como se detecta o câncer do colo do útero?
As lesões precursoras do câncer do colo do útero podem ser indicadas pelo exame Papanicolaou e confirmado pela biopsia. O procedimento é indolor, simples e rápido. Para que o resultado do exame seja correto, é importante que a mulher não tenha relações sexuais, mesmo com camisinha, dois dias antes do exame. Ela também não deve estar menstruada e evitar o uso de duchas, medicamentos vaginais e anticoncepcionais dois dias antes do procedimento. É importante salientar que este exame não é contraindicado para mulheres grávidas.

Como é realizado o exame Papanicolaou?
Inicialmente, para a coleta do material, é introduzido na vagina um instrumento conhecido como espéculo. Depois, o médico realiza a inspeção visual do interior da vagina e do colo do útero. Após, com o uso de uma espátula de madeira e uma escovinha, o profissional coleta células das superfícies interna e externa do colo do útero. O material recolhido é enviado para análise em laboratórios especializados. Mulheres após os 25 anos e as que já iniciaram a vida sexual devem realizar o exame anualmente.

O câncer do colo do útero tem cura?
Sim. O câncer do colo uterino é um dos mais fáceis de ser identificado, apesar dos sintomas serem tardios é possível ser detectadas lesões precursoras, ou seja, antes de se tornarem câncer, com cura em até 100% dos casos. Para isso, é extremamente importante a visita regular ao ginecologista e a realização anual do exame Papanicolaou.

Tratamentos

Como é feito o tratamento do câncer do colo uterino?
O tipo e a extensão do tratamento dependerão da fase ou estágio da doença na época do diagnóstico. Pode variar da retirada do colo do útero até uma histerectomia radical (retirada total do útero). O tratamento também pode ser acompanhado de Radioterapia e/ou Quimioterapia.

Câncer do endométrio

O que é endométrio?
Endométrio é a camada mucosa que reveste internamente o útero e que descama naturalmente durante as menstruações.

O que é câncer do endométrio?
É uma doença que faz as células do endométrio sofrerem alterações e começarem a se multiplicar sem controle. O câncer do endométrio está em segundo lugar na lista entre os cânceres ginecológicos mais comuns entre as mulheres.

Diagnóstico / Prevenção

O que causa o câncer do endométrio?

A causa ainda é desconhecida, mas alguns fatores podem ajudar no desenvolvimento da doença, como aumento dos níveis de estrogênio, diabetes, obesidade, terapia de reposição de estrogênio, nunca ter engravidado e início da menopausa após os 50 anos, entre outros.

Quais os sintomas do câncer do endométrio?
O sintoma mais comum de algum problema no endométrio é o sangramento vaginal na mulher que já tenha parado de menstruar (após a menopausa). O que pode acontecer com a doença ainda em fase inicial.

Como se detecta o câncer do endométrio?
Para o diagnóstico é necessária a coleta de material da cavidade do corpo do útero, que pode ser realizada por meio de biopsia histeroscopia (inspeção médica da cavidade uterina com o uso da endoscopia) e curetagem uterina.

O câncer do endométrio tem cura?
Normalmente, o câncer de endométrio é diagnosticado na fase inicial, o que ajuda na sua cura. Cerca de 90% das mulheres que apresentam esse tipo de câncer são curadas.

Tratamentos

Quais são os tratamentos para o câncer do endométrio?
O tratamento básico é o cirúrgico, com a retirada do útero e dos ovários, além dos linfonodos (gânglios linfáticos) regionais. Indica-se a Radioterapia para determinadas situações e Quimioterapia.

Câncer de ovário

O que é ovário?
É o órgão que produz as células reprodutivas ou óvulos.

O que é câncer de ovário?
É uma doença que faz as células dos ovários sofrerem alterações e começarem a se multiplicar sem controle. É pouco frequente, mas é o tumor ginecológico mais difícil de ser diagnosticado, já que sua evolução é silenciosa. Ocupa o terceiro lugar em incidência nas mulheres.

Diagnóstico / Prevenção

O que causa câncer de ovário?
O câncer de ovário pode estar ligado a fatores genéticos. Mulheres com mais de 50 anos são mais pré-dispostas a terem a doença, além daquelas que nunca engravidaram ou que já tiveram câncer de mama, útero ou colorretal.

Quais os sintomas de câncer de ovário?
No início, o câncer de ovário não tem sintomas. A evolução do tumor é que define os sintomas. Ela pode sentir dor ou inchaço no abdômen, pelve, costas ou pernas, náusea, gases, diarreia e cansaço constante, entre outros. Aumento dos ovários após a menopausa também precisa ser investigado.

Como se detecta o câncer de ovário?
O câncer de ovário é confirmado com biopsia, realizada nos casos em que a paciente apresentar alteração ovariana nos exames, como ultrassonografia.

Há como prevenir o câncer de ovário?
A prevenção é a visita regular ao ginecologista para a realização de exames de rotina. É importante também ficar atenta aos fatores de risco, como histórico familiar, fatores hormonais e genéticos, principalmente as mulheres com mais de 50 anos. Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, maiores são as chances de cura. Pode ser detectada alteração ovariana com ultrassom associado ao Doppler (função que permite a identificação e avalição de estruturas em movimento, principalmente o fluxo sanguíneo).

O câncer de ovário tem cura?
Todos os tipos de cânceres ginecológicos têm potencial de cura. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maior será a chance de controle da doença. Como o câncer de ovário geralmente é descoberto em fases consideradas avançadas da doença, as taxas de cura (média de 50%) são menores do que a de outros tumores ginecológicos.

Tratamentos

Quais são os tratamentos para o câncer de ovário?
Cirúrgico, quimioterápico e/ou radioterápico. A definição do tratamento dependerá do tipo do tumor, da idade e das condições clínicas da paciente.

As informações contidas neste folder são orientações gerais. Elas nunca devem substituir as especificações feitas pelo médico para o seu caso.

 
     
  << Voltar para a tela anterior