- Convênios  
  - Marque Consulta  
  - Exames  
  - Trabalhe Conosco  
  - Imprensa  
  - Humanização  
  - Ajude o IBCC  
  - Informativos  
  - Transplantes  
 
     
  O Câncer de Mama no Alvo da Moda
Campanha que une o fashion à saúde
 
 
 
     
 

Campanha Ibcc

O Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC) acertou no alvo quando trouxe ao Brasil, depois de uma parceria com o Conselho dos Designers de Moda da América (CFDA, do inglês), em 1995, a campanha Fashion Targets Breast Cancer, criada em 1994 para alertar as mulheres sobre a importância da detecção precoce do câncer de mama.

A iniciativa americana foi do estilista Ralph Lauren, que, após acompanhar a luta de sua amiga e jornalista Nina Hyde contra o câncer de mama, decidiu que precisava usar a moda para falar com as mulheres sobre esse assunto. Criador do alvo azul, ele fez mais do que isso. Sua campanha, abraçada pelo CFDA, fez sucesso nos EUA e logo chegou ao Brasil, primeiro país a realizá-la fora dos EUA e onde ela fez ainda mais sucesso, superando até mesmo os resultados alcançados em seu país natal.

Traduzida para o português, O Câncer de Mama no Alvo da Moda vem quebrando tabus, superando barreiras e mostrando que o câncer de mama pode ser vencido. A Campanha trouxe um ar renovador sobre o tema. Incansavelmente apoiada por empresas, artistas, celebridades, imprensa e população em geral, ela se tornou um ícone de esperança, levando informação e estabelecendo uma nova postura das mulheres frente ao câncer, ou melhor, à vida.

A versão brasileira

Quando desembarcou no País, em 1995, a Campanha também foi logo acolhida pelo mundo da moda e das celebridades. Não faltou apoio. Ao contrário, O Câncer de Mama no Alvo da Moda ganhou passarelas, ruas, espaços na mídia, eventos esportivos, etc. Desfilou entre produtos dos mais variados segmentos e públicos. Mas a camiseta branca com o alvo azul foi o seu estandarte.

Para se ter uma ideia de como começou bem a causa nobre no Brasil, já na primeira edição a Campanha vendeu 418 mil camisetas e entrou para o livro dos recordes (Guiness Book Edição 1995). Isto porque a camiseta mais cara do mundo, com o autógrafo da apresentadora Xuxa, foi leiloada por R$ 81 mil. Este foi o primeiro dos recordes que seriam batidos em sua história.

O alvo azul já foi estampado em mais de 850 modelos de camisetas e vestiu, ao longo desses anos, mais de 8 milhões de pessoas no País. O valor arrecadado com a Campanha gira em torno dos 57,5 milhões de reais, custeando parte dos tratamentos dos pacientes do IBCC e contribuindo com as obras de ampliação do hospital. Desde 1995, o complexo hospitalar do IBCC cresceu 14.300 m².

São Paulo Fashion Week

O SPFW é a mais relevante semana da moda brasileira. Quando acontece, os flashes, holofotes e câmeras se viram para as passarelas onde as tendências da moda são enaltecidas. Desde o ano 2000 que a Campanha é parceira do evento e diversos estilistas já deixaram suas marcas em modelos criados para as edições do SPFW e que depois ganharam as ruas, ajudando a conscientizar a sociedade.
Como o IBCC reconhece, para a Campanha no Brasil, o SPFW representa o CFDA e os estilistas brasileiros representam Ralph Lauren, com a vantagem de que a renovação de estilistas e o lançamento de dois modelos fashion a cada ano fazem a Campanha se renovar e se atualizar.

Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama

Entre os vários eventos que a Campanha promove, um dos mais importantes é a Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama. Em mais de 10 anos, milhares de pessoas têm corrido e caminhado em busca da conscientização para a realização do autoexame das mamas e a consequente detecção precoce da doença que mais atinge as mulheres no País.

Parceiros da Campanha

Em todos estes anos, a campanha O Câncer de Mama no Alvo da Moda já teve mais de 100 parceiros. Empresas dos mais diversos segmentos sabem que filiar seus nomes a uma causa tão importante como esta enobrece e agrega valor a qualquer marca.

Pelo mundo

A campanha brasileira O Câncer de Mama no Alvo da Moda tornou-se o principal case mundial para o CFDA, que a usa para fazer com que outros países se motivem a realizá-la. Hoje já são nove, além dos EUA e Brasil: Austrália, Canadá, Chipre, Grécia, Inglaterra, Irlanda, Islândia, Japão e Portugal. Nos mais diferentes idiomas, todos utilizam a linguagem fashion para falar sobre o câncer de mama e desmistificar esta doença que vem aos poucos sendo vencida. Graças ao avanço da Medicina e à informação trazida de várias formas. Uma delas é por meio da campanha O Câncer de Mama no Alvo da Moda.